fbpx

Validação: como verificar se a sua ideia é viável no mercado

Identificar uma oportunidade, saber capitalizar em cima disso e abrir o próprio negócio é algo típico de um empreendedor. Você não pode, apenas, esquecer da validação. 

Na teoria, é claro, tudo funciona às mil maravilhas. Mas, como diria Joelmir Beting, famoso jornalista brasileiro, “na prática, a teoria é outra”.

Para evitar surpresas e identificar possíveis problemas (e, também, melhorias) no modelo de negócio e na sua própria empresa, validá-lo é essencial para o sucesso.

Ao ler os três parágrafos acima, você deve estar pensando que o seu sonho está cada vez mais distante. E não é dessa maneira que você deve encarar esse momento tão importante. 

A validação vai, na realidade, impedir que você quebre a cara com uma ideia que, de fato, tem potencial. Quanto mais desafios a sua convicção enfrentar, mais forte ela estará.

Logo, por associação, um serviço/produto que é fruto de validações (se possível, no plural) firmes tem muito mais chance de dar certo. Uma empresa, idem.

Neste texto, você vai aprender tudo que é necessário para validar a sua startup. Entender o que isso, de fato, é; como fazer isso; ler sobre MVP e, em duas oportunidades, saber como a sua empresa fica ainda mais segura.

Sim, duas vezes. Porque aqui, no Blog da Abstartups, nós relembramos duas vezes (uma no começo, uma no final) sobre o quanto você está prestes a ter uma série de aprendizados.

Esse espaço, onde você se encontra agora, sempre traz textos com uma série de temas relevantes para qualquer empreendedor e startup. Dicas, conceitos, insights e tudo que é necessário para se sobressair no mercado.

Então, não perca tempo: favorite o Blog da Abstartups e passe sempre por aqui. Nós garantimos que sempre teremos conteúdo enriquecedor para você.

A organização que mantém o Blog também traz uma série de benefícios para você. Ao se associar à ABStartups, você tem acesso a uma série de facilidades que todos os empreendedores desejam.

Você pode conferir uma lista dos nossos planos, do que cada um deles oferece e do respectivo investimento aqui. Pode clicar, basta voltar para o texto quando escolher o seu.

Agora, que você se associou à Abstartups e terá muito mais oportunidades no mercado de trabalho, chegou a hora de nos aprofundarmos sobre o tema deste texto.

O que, de fato, é validação?

Falamos rapidamente sobre o que seria validar uma ideia – sobretudo aquela central para o funcionamento da sua startup. Mas vamos deixar claro agora.

A validação consiste em testar uma ideia, um negócio ou uma hipótese, para verificar se ela é válida ou não. Validar, válida… ficou mais simples agora, certo?

Para que você consiga fazer a validação, você precisa ter alguns conceitos na sua cabeça. Mas, que fique bem claro:

O que falaremos agora não é um passo-a-passo sobre validação de ideias e startups. Nós falaremos disso mais para frente. Comentaremos, agora, a respeito de definições importantes e prévias:

  • Ideia: se você busca ser um empreendedor e acredita que tem uma boa oportunidade, você precisa testá-la. Vá em frente
  • Variáveis: todos aquelas perguntas que podem surgir no caminho aparecem aqui. Qual o público-alvo? Quando será o teste? Onde?
  • Definição do experimento: essa é, basicamente, mais uma pergunta. Mas quisemos destacá-la por um motivo simples: o como testar deve ser pensado após as respostas do tópico acima
  • Teste: destacamos duas maneiras de testar a validação: o MVP e a entrevista. Sobre o primeiro caso, falaremos mais para frente; a segunda deve ser feita com clientes e interessados
  • Análise: com todos os resultados à disposição, debruce-se sobre tudo que as respostas e os dados falarem. Eles deverão ser o seu norte.

Como eu faço isso?

Agora que você já sabe do que estamos falando na prática, você deve ter se perguntado como fazer isso. Na realidade, você deve estar com a cabeça virada, pensando que isso é muito difícil.

Nossa primeira dica é: respire. Nada é tão difícil quanto parece, assim como nada é tão fácil quanto parece. Tudo que é novo causa estranheza e reações extremas. Isso é humano.

Para colocar tudo no devido lugar, cabe fazer um checklist de tudo que é necessário para validar a sua ideia e, também, a sua startup.

Nós separamos um guia para você validar a sua ideia. São, ao todo, quatro passos para você saber se o que está na sua cabeça tem futuro ou não.

  • Definição de segmento

Mais do que definir quem você quer ouvir, você tem que ter em mente que tal segmentação deve ser o mais restritiva possível.

Definir em homens ou mulheres, faixa etária ou qualquer outro grupo não é o suficiente. Ao invés de “ou”, foque, também, no “e”.

Se a sua empresa tem um público-alvo bem específico, você deve seguir tal situação na validação da sua ideia.

Portanto, vá fatiando tal público-alvo o máximo que conseguir para validar. Vamos dar um exemplo:

Homens: X

Homens no Rio de Janeiro: Y

Homens no Rio de Janeiro de 18 a 30 anos: Z

Homens no Rio de Janeiro de 18 a 30 anos das classes A e B: W

É esse público “W, bem estratificado, que você deve levar em conta. E, ao menos nesse momento, apenas ele. O foco para definir o seu público-alvo é fundamental.

  • Determine o que deve ser validado

Com o seu público-alvo já bem definido, chegou a hora de você começar a ser (ainda) mais prático. E vamos continuar com aquele exemplo dado no exemplo acima.

Caso o público W não tenha grandes dificuldades que você possa sanear, a sua ideia, simplesmente, se torna inviável. Ela não se validou.

Em termos mais teóricos, esta é a fase do aprender. Você precisa estar disposto a ouvir, da maneira que for – por vezes, dura, e de uma notícia pouco satisfatória.

Mais do que isso, você deve ter em mente a resposta de uma pergunta: o que é o mais importante para que a minha startup dê certo?

Não se esqueça, também, de perguntas complementares. Tudo que você souber do público W é fundamental para indicar caminhos – mesmo que não sejam os planejados. Alternativas são sempre bem-vindas.

  • Escolha um método

Chegamos, aqui, ao momento mais complexo. Com o público W já mapeado, ouvido e com informações a respeito dele, identifique como você pode trazer algo de novo para tal mercado.

Identificou? Então teste. Pergunte para quem faz parte do grupo W se a sua ideia é boa, quanto eles investiriam. Saiba tudo a respeito da sua ideia e do seu público-alvo.

E, quando falamos em “pergunte”, falamos, também, de criar formulários na internet, um hotsite, fazer uma observação in loco. Vale de tudo.

O mais importante de tudo, após ouvir o seu público-alvo, está em ter dados confiáveis. É essa segurança que te dará base para o futuro.

E, sim: o parágrafo inteiro acima (e esse também) é um imenso alerta para que você não manipule dados de maneira alguma. Tal situação só será negativa para você.

  • Análise dos dados

á está tudo na sua mão. Agora, cabe a você identificar como você pode ajudar o seu público-alvo. O grupo W, citado acima, têm dificuldade em aprender uma terceira língua?

Pois bem: um app para ajudar, de alguma forma, quem está interessado em aprender um novo idioma é uma ótima alternativa. 

Se essas pessoas não têm muito tempo para se dedicar ao app (o que, obviamente, é um problema), você pode, de alguma forma, premiar quem se esforça mais.

O aplicativo que idealizamos (e é um mero exemplo, que fique bem claro) é um protótipo. E, aqui, caímos novamente na história de MVP – que falaremos em breve.

Não abra mão, também, de pensar em uma pivotagem – ou seja, você muda os caminhos da sua ideia e busca alternativas (dentro ou não do segmento originalmente pensado).

MVP: algo importante para você saber

Ao longo deste texto, falamos mais de uma vez sobre MVP. Nós já fizemos um texto inteiro sobre esse conceito, que você pode ler clicando aqui

(Antes de prosseguir, um comentário: nós falamos que o Blog da Abstartups tem muito conteúdo bacana, certo? O texto sobre MVP é só mais um exemplo disso)

Pois bem: o conceito de Minimum Viable Product (de onde vem o acrônimo MVP) tem tudo a ver com validação.

Ao ler o texto que indicamos, você percebeu que precisa de uma versão mínima do próprio produto/serviço para entregar ao seu público.

A partir dessas visões, com feedbacks, críticas, elogios e ideias, você chegará ao produto/serviço final. 

Ou seja: o MVP é uma excelente maneira para você validar a sua ideia. É um dos passos finais, por assim dizer, da validação – e o começo da concretização de tudo que você está pensando.

Qual importância tem a validação para uma startup?

Tudo isso de nada serve se a validação não tiver um benefício prático, certo? Pois bem: ela é muito importante para qualquer empresa – ainda mais para uma startup que busca espaço no mercado.

Também achamos mais do que natural que um empreendedor que busque informações sobre validar uma startup não saber quais os benefícios que ela, de fato, traz para a empresa.

Cientes disso, apresentamos, de maneira bem sucinta, três ganhos que uma empresa tem ao validar o produto/serviço:

  • Financeiro

Quando você aposta cegamente em uma ideia que mostra-se inviável, você, por consequência, está investindo dinheiro em algo que não foi para frente – e desperdiçando-o

  • Tempo

Sim, descobrir que a sua ideia é inviável é frustrante. Mas, caso você tente levar o que pensa para o mercado sem validar, você patinará um bom tempo no mercado 

  • Motivação

Acredite: poucas coisas são mais frustrantes para uma equipe que tentar uma série de situações e nada dar certo

Nós desenhamos para você

Nós já colocamos todo o caminho das pedras sobre validação para você. Se chegou até aqui, você, certamente, está apto para fazer a validação da sua startup.

Mas nós temos uma última (na verdade, uma penúltima) ajuda para você. Rascunhamos o que é necessário perguntar na entrevista para validação com o seu público-alvo. 

Para ter acesso a esse documento, clique aqui. Você pode tirá-lo como base para a sua própria, alterando-a de acordo com especificidades da sua empresa. Sempre é bom ter um início, certo?

Vocês podem me ajudar ainda mais?

Sim, podemos. Tanto que, acima, falamos que a nossa guia para validação seria a penúltima ajuda para você. Nós podemos te ajudar ainda mais.

Dentre outras tantas ajudas que podemos te oferecer, nós temos muito conteúdo. Comunidades (e o mapeamento delas), pesquisas e…

… a nossa StartupBase, um imenso levantamento de startups Brasil afora, segmentadas por área, localidade, porte e uma série de informações relevantes.

Por sinal, nesse aspecto, deixamos novamente o nosso convite para você ver os textos no nosso Blog da Abstartups. Tem uma série de temas relevantes por aqui.

Acha que falta experiência? Temos mentorias com diversos profissionais renomados no mercado para que você tenha insights, conselhos e uma série de ideias para você.

Unir conteúdo, experiência e networking é difícil, mas é possível. E nós temos dois eventos para viabilizar essa difícil missão.

O primeiro delas é a Conferência Anual de Startup e Empreendedorismo – CASE. O segundo, em formato mais intimista, é o StartupON, sempre em cidades diferentes.

Essas são algumas das ajudas que a Abstartups oferece para você. Temos mais uma série de benefícios, mas alguns deles são exclusivos para quem se associar à instituição.

E, vai por mim: os benefícios que te aguardam são inúmeros e imensos. Para verificar a quais ferramentas você tem acesso, clique aqui e veja nossos planos.

A validação é um importante passo para que a sua ideia tenha viabilidade. Para que toda a sua empresa siga o mesmo caminho, conte com a ABStartups.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *